Mount Olympian

Ficha de Reclamação de Igor Baesso

Ir em baixo

Ficha de Reclamação de Igor Baesso Empty Ficha de Reclamação de Igor Baesso

Mensagem por Igor Baesso em Ter Jul 16, 2013 12:51 pm

Progenitor(a) Divino: Hermes
Progenitor(a) Mortal: Emanuelle Baesso
Local de nascimento:Colombia
Cor dos Olhos: PretoIntenso
Cor dos Cabelos: LoiroDegradê
Estatura: Mediana
Prefere ficar no(a): Ataque
É uma pessoa tímida? Um pouco
Faz o que os outros dizem? As vezes
É uma pessoa forte ou insegura? Forte
Sempre segue o plano? Sim
Por que escolheu a divindade como progenitor: Porque Hermes tem tudo haver comigo, além de viagens eu gosto de brincar com todos e tudo ao meu redor (lado criativo)... Sem contar que as vezes eu pego coisas emprestadas [sem pedir].

História: Igor nasceu na Colômbia, sua mãe era uma mulher diferenciada e extremamente bela. Diziam que sua beleza era porque era a única que ainda corria o sangue dos maias em suas veias. Além de ser sua única amiga, pois eram nômades, quando estavam se acostumando com um lugar ambos se mudavam.

Baesso divertia-se com as histórias que a mãe contava, muitas retratavam temas interessantes. As suas preferidas eram sobre monstros e seres mitológicos, como deuses e titãs. Porém, o garoto achava estranho porque Emanuelle mudou toda a crença dela, as histórias que ela contava dos maias também tinha monstros e deuses, mas eram totalmente diferentes. Com sete anos começou a ser perseguido por monstros que sua mãe certa vez contara e por esse motivo deslocavam-se cada vez mais.

Até ambos saírem da Colômbia e irem para o Brasil, detalhadamente Amazônia; onde ficaram até Igor completar 12 anos e ganhar uma adaga de sua mãe. A mesma começara a citar um acampamento que iria algum dia manda-lo, onde a criança não queria ir por saber que ficaria afastado de sua criadora. Emanuelle o deixou com um rapaz que aparentava uns surrados trinta e seis anos, que iria o levar até o tal Acampamento. Uma emboscada, por assim dizer. A Baesso depositara toda sua confiança no garoto e entregara Igor ao mesmo de bom grado. Até a traição surgir.

O jovem rapaz pode sentir o zumbido da flecha passando ao lado de seu ouvido esquerdo. O homem - que era confiável há cinco segundos - atirou em sua mãe e em seguida, prendeu-o com cordas. Em um momento de distração Igor conseguiu se soltar com a adaga que havia ganhado outrora. Frente a frente com o corpo de sua mãe a raiva dominou-o. Num ataque de fúria conseguiu roubar o arco e atirar no rapaz, mas a flecha acertara o mesmo raspando. O moço urrou de dor e gritou algo, que infelizmente Igor entendeu. Assustado e com sua mãe morta, Igor correu o mais rápido que pode até estremecer com o rugido de uma fera enraivecida.
Batalha: Em uma noite serena, Igor caminhava pelas estradas de um local desconhecido. Seus olhos inchados do choro que não aguentara até então; relembrando seus antepassados. Nas mãos, o garoto portava o corpo de sua mãe morta e enfiado na lateral da calça, sua adaga revestida de bronze celestial. O mesmo ainda estava ofegante da corrida que dera, conseguindo fugir temporariamente da fera que lhe perseguia. O silencio tomara o local, o vento assoviava nos ouvidos de Igor. O mesmo esvoaçava os negros cabelos do Baesso, levando consigo alguns pensamentos passageiros.

Um barulho tocara seus ouvidos, vindo em meio as casas aleatórias. Com os olhos estreitados, Igor conseguiu avistar o enorme lestrigão que o observava; o rapaz finalmente conseguira ver o monstro, identificando-o graças as histórias de sua mãe. O garoto pensara em fugir novamente, talvez essa escolha salvasse sua vida, mas o mesmo preferiu ficar e lutar. Ao mesmo tempo que a arma voltou a suas mãos, Igor recostou sua mãe em uma parede.

Quando se viu, o gigante destemido o esperava de tocaia; com sua clava balançando de um lado para o outro. O lestrigão o olhou dos pés até a cabeça e começou a correr em sua direção; erguendo sua arma revestida de madeira bruta. O monstro lambera seus rachados lábios, fitando Igor com ganancia.

Ao chocarem-se, as armas soltaram um tilinto abafado. O gigante atacara com um golpe na vertical, de baixo para cima; dificilmente aparado pela lâmina de Igor. E que aproveitando o golpe, o garoto atacara na horizontal. Ataque defendido pelo lestrigão, o mesmo revidou chutando ou pelo menos tentando chutar as frágeis, porém rápidas pernas do jovem. Um pulo alto e bem planejado fez com que o Baesso parasse em cima do monstro, que se remexia e dava pancadas na própria cabeça desesperadamente.

Igor só não o apunhalara na cabeça ainda, por estar ocupado demais desviando dos seguidos ataques da fera. O que logo o derrubara, porém com Igor em seus ombros. O indefinido gemeu ao sentir parte do peso da fera em suas pernas, enquanto o mesmo permanecia na tentativa de levantar-se. O garoto mal sentia seus pés, pobre membros esmagados por quilos de lestrigão.

Assim que ambos já se encontravam de pé, o monstro ainda tonto e o semideus com as pernas bambas; voltaram a se atacar. Desta vez, a fera acertara um golpe no braço esquerdo de Igor, fazendo-o voar pelo menos trinta metros. Ele se aproximava cada vez mais enfurecido, a caminho de sua refeição de prole divina. Igor permanecia na tentativa desesperada de levantar-se e ainda, pegar sua adaga, enquanto o lestrião estava a cada vez mais perto.

A fera erguera sua crava e golpeara Igor com toda sua força. O garoto desviara o ataque rolando para o lado, já alcançando sua adaga. Aparara um golpe vindo de cima para baixo, outros na diagonal e vários na horizontal; tudo deitado sobre o chão enlameado. Sua respiração já era falha, a garganta estava seca e sua esperança de vencer a luta já nem existia mais. Mas sua mente ainda matutava algumas estratégias, talvez falhassem, mas o que custaria tentar.

Igor botara em ação sua estratégia, encostando sua cabeça cansada numa parede qualquer. O esfomeado lestrigão aproximava-se novamente, pronto para um ataque final. O semideus fechara os olhos, transparecendo rendição. E quando o mesmo finalmente o atacara, o garoto abaixara-se deixando que a clava acertasse a parede, bem no local em que permanecia sua cabeça a um segundo atrás. Aproveitando a brecha, Igor retirara a sua adaga e a lâmina tocara o estômago do lestrigão.

O resto de seu dia passara como um flashback, onde o mesmo só lembrava-se de pequenas coisas. Estas seriam de tossir pó amarelo, a pior parte de tudo; acordar em um local aberto e cheio de crianças, de ter visto homens metade bodes e um velho barbudo metade cavalo.

Igor Baesso
Igor Baesso

Mensagens : 3
Data de inscrição : 13/07/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ficha de Reclamação de Igor Baesso Empty Re: Ficha de Reclamação de Igor Baesso

Mensagem por Tânatos em Ter Jul 16, 2013 2:00 pm

A historia ficou boa, mas algumas partes ao tentar deixa-la rebuscada, teve o efeito inverso.
A batalha não foi boa. Muitos poderes que você ainda não tem, infelizmente você ainda não pode pular sobre a cabeça. E uma adaga não consegue segurar uma clava ainda mais que o lestrigão é mais forte que você.

Reprovado
Tânatos
Tânatos
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 722
Data de inscrição : 13/06/2013
Localização : Mundo Inferior

Ficha Meio-Sangue
Infrações:
Ficha de Reclamação de Igor Baesso Left_bar_bleue0/0Ficha de Reclamação de Igor Baesso Empty_bar_bleue  (0/0)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum