Mount Olympian

Ficha de Reclamação de Claire M. Jones

Ir em baixo

Ficha de Reclamação de Claire M. Jones

Mensagem por Claire M. Jones em Ter Out 01, 2013 1:34 pm

Progenitor(a) Divino: Ares
Progenitor(a) Mortal: Ângela Jones
Local de nascimento:York
Cor dos Olhos: AzulIntenso
Cor dos Cabelos: LoiroClaro
Estatura: Baixa
Prefere ficar no(a): Ataque
É uma pessoa tímida? Não
Faz o que os outros dizem? Não
É uma pessoa forte ou insegura? Forte
Sempre segue o plano? Não
Por que escolheu a divindade como progenitor: Escolhi Ares por ser um deus que pessoalmente admiro muito. Ele é bem presente na mitologia grega, sempre tratado com respeito e temor pelos guerreiros, aparece em diversos contos. E ademas, é o progenitor perfeito para Claire, pois sua personalidade combina com suas características psicológicas da minha personagem.
História: Nasci em York, uma pequena cidade da Inglaterra, em 5 de março de 1996.
Morava em um ótimo apartamento no centro da cidade com minha mãe, meu pai e meu irmão mais novo.
Podemos dizer que eu nunca fui uma criança normal. Desde os cinco anos de idade eu não fico mais de um ano no mesmo colégio. Sempre acabo sendo expulsa, seja por alguma briga que eu me meti ou algo estranho que aconteceu, geralmente é a primeira opção. Minha mãe sempre dava um jeito de me deixar pior ainda por cada expulsão, sempre dizendo que eu não era nada, que eu nunca seria alguém decente na vida. Mas meu pai era meu herói, sempre ficava do meu lado, dizendo que eu não tinha culpa e me defendendo da minha mãe.
Em uma noite chuvosa, ouvi uma briga deles. Meu pai dizia para minha mãe me tratar melhor, pois eu não merecia ser tratada daquele jeito, então ela gritou com ele, dizendo as palavras que nunca saíram da minha cabeça desde então.
- Ela não é sua filha! Por que se importa tanto com ela?
E então, naquela mesma noite eu fugi de casa, não levando mais que 20 euros e uma mochila com algumas peças de roupa, sem ter para onde ir.
Eu odiava minha mãe. Odiava meu pai. Por que eles mentiram para mim?
Passei a noite andando pela cidade, não poderia me deixar abater. Não voltaria para casa, isso estava decidido, então deveria continuar seguindo em frente. Talvez se eu juntasse uma boa quantidade em dinheiro poderia ir para os Estados Unidos morar com meus avôs. Porém, quem em sã consciência daria um emprego a uma garota como eu? Eu gritaria com qualquer um que ousasse me dar ordens.
O resto da semana se passou e eu continuava morando nas ruas, os vinte euros foram roubados por um mendigo sem dente e minha mochila desapareceu enquanto eu dormia, deixando-me apenas com as roupas do corpo. Comida era fácil de arranjar, havia uma senhora que possuía um pequeno café, ela estava sempre me dando alguns doces ou algo para beber.
Na véspera do meu aniversário de 15 anos, após eu sair da cafeteria, eu fui atacada por um homem. Ele segurou meu braço com força e me jogou contra a parede. Sinto minha coluna protestar e deixo alguns gemidos de dor escaparem e olho para o homem.
Arregalei os olhos ao notar um único olho em meio a sua testa.
Não me lembro exatamente o que se passou a seguir, mas lembro apenas que consegui fugir do "homem", porém muito machucada e fui levada para um hospital, onde descobriram quem eu era e ligaram para os meus pais.
Papai foi o único que veio me ver. Ele chorou, dizendo que sentia muito por ter mentido e que me amava, mas precisava que eu fosse para um lugar, onde eu ficaria em segurança e aprenderia a me defender.
Assim que tive alta do hospital, ele me levou direto para o aeroporto, trazendo algumas coisas minhas consigo. Joseph embarcou comigo no avião e me levou até Long Island, me explicou tudo que eu precisava saber, segundo ele, e me deixou em frente ao Acampamento Meio-Sangue.
Batalha: Observei o ciclope em minha frente e sorri, empunhando a espada. Imaginei vários tipos de ataques e torturas que eu poderia realizar contra ele. Meu sorriso apenas aumentou ao vê-lo correr em minha direção. Grande erro, grandão.
Esperei ele se aproximar o suficiente e ao fazer isso, esquivei para o lado, virando-me em seguida e realizando um corte em suas costas. Isso seria apenas o começo.
Afastei-me dele, o sorriso sádico presente em meu rosto. Dessa vez ele não veio tentar me atacar, acho que alguém está aprendendo.
Aproximei-me do monstro devagar e fiz um golpe em horizontal no seu braço, quase no ombro. Ele tenta me segurar, mas eu me abaixo, aproveito e faço cortes em seus tornozelos. Nunca perderia a chance de o machucar.
Levantei-me apressada, sem dar a chance para um contra ataque dele, invisto contra a sua barriga, mas ele consegue aparar o golpe com suas mãos, usando a sua força, ele tira a espada de minhas mãos e ela caí no chão, alguns metros longe de mim.
O ciclope aproveita minha distração e me derruba no chão. Arrastei-me em busca da minha espada, apesar de achar aquilo humilhante. O monstro tenta vir para cima de mim e, sem saída, eu o chuto. Minha força comparada a dele é praticamente nula, porém consigo com que ele se distraia, sendo assim, consegui pegar minha espada. Levantei rapidamente, empunhando a espada e com um sorriso no rosto, finco a espada no peito do monstro, transformando-o em pó.
avatar
Claire M. Jones
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 7
Data de inscrição : 30/09/2013
Localização : York, Inglaterra.

Ficha Meio-Sangue
Infrações:
0/0  (0/0)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação de Claire M. Jones

Mensagem por Poseidon em Ter Out 01, 2013 1:41 pm

A história ficou muito boa, bem escrita e coerente. Você não teve o mesmo capricho com a batalha, não está muito bem detalhada e houve um pequeno deslize com tempo verbal. Contudo, não foi um erro grave e a história conseguiu ser criativa, mesmo sendo pequena:
Aprovada
avatar
Poseidon
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 194
Data de inscrição : 14/08/2013

Ficha Meio-Sangue
Infrações:
0/0  (0/0)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum