Mount Olympian

Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black

Ir em baixo

Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Empty Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black

Mensagem por Tânatos em Sab Jul 27, 2013 8:59 pm

Mortal possuído.
Rose estava sozinha em seu chalé, quando tudo ficou escuro e frio. Ela pegou uma de suas armas.
- Isso não me afetaria, Ceifadora. – disse uma voz sem emoção. – E não estou aqui para te machucar.
Ela ficou sem reação ao ver Tânatos surgir do nada.
- Um mortal foi possuído por um semideus que vendeu sua alma para um monstro. E agora está na espreita do acampamento para pegar almas para o monstro. Você deve recolher a alma do semideus, mas não matar o mortal. Não falhe, ou sua alma será a primeira que ele vai pegar.
Da mesma maneira de apareceu o Deus da Morte sumiu.

Instruções.:

Vá atrás do semideus. Ele nunca foi para o acampamento, portanto não o conhece. E não tem poderes, já que está usando um corpo mortal, mas é um excelente lutador.
Deve enfrentar 2 monstros diferentes no caminho.
Ajude o mortal a sair do acampamento.
Tente usar mais coisas de Ceifadora que de filha de Perséfone, claro que não é proibido.
Você tem 15 dias
Tânatos
Tânatos
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 722
Data de inscrição : 13/06/2013
Localização : Mundo Inferior

Ficha Meio-Sangue
Infrações:
Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Left_bar_bleue0/0Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Empty_bar_bleue  (0/0)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Empty Re: Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black

Mensagem por Rose Black em Dom Jul 28, 2013 9:32 pm



Missão: Mortal possuído.
Recolhendo uma alma

Sentada na cama folheando uma revista, encontra-se Rose Black. A menina estava a ficar com sono de tanto tédio já. Não tinha animação para fazer nada, nem ideias de como melhorar seu dia. Virou mais uma página, soltando um pequeno bocejo e coçou os olhos.
Bufando irritada pela revista já ter acabado, jogou-a no chão e deitou-se na cama, pondo-se a observar o teto. Piscou, percebendo que o sono sumira. Girou os belos olhos esverdeados e levantou-se. Observou suas coisas, todas desorganizadas e decidiu-se por arruma-las. A tarefa seria tediosa, mas pelo menos teria algo para passar o tempo.
Dobrou as roupas limpas e colocou as sujas para lavar. Guardou suas coisas organizando-as o melhor que pode. Olhou de baixo da cama, achando sua jaqueta preferida junto de um quadro. Ao pega-lo deparou-se com uma foto tirada em seu aniversário de oito anos. Annelise, Rose e Paolo estavam com chapéus coloridos na cabeça e um pratinho com bolo de chocolate nas mãos, sorrindo divertidos pra câmera.
A morena esboçou um pequeno sorriso, passando os dedos pela imagem do pai, antes de limpar o vidro com a manga da blusa e colocar o quadro em cima de seu criado-mudo. Apanhou a jaqueta e bateu a mesma tirando o pó, para logo em seguida dobra-la e guarda-la.
Já fechava seu baú, quando o ambiente ficou escuro e frio, repentinamente. Puxou sua espada de rosas e ergueu-a, pronta para contra atacar. Ficou de costas para a parede, observando atentamente o quarto. Nada fora do normal parecia ter acontecido, apesar a luz ter sumido e o ambiente ficado gélido. O local estava lembrando o chalé de Tânatos.
-Isso não me afetaria, Ceifadora. – Disse uma voz sem emoção. -E não estou aqui para te machucar.
A garota ficou sem reação ao ver Tânatos surgir do nada. Black não saberia dizer em que momento soltou sua espada e caiu de joelhos em frente ao seu lorde. Não sabia que reação devia esboçar, tinha medo de cometer algum erro. Perguntas rondavam a mente da jovem semideusa, mas nenhuma resposta conseguia obter por si própria.
-Um mortal foi possuído por um semideus que vendeu sua alma para um monstro. E agora está na espreita do acampamento para pegar almas para o monstro. Você deve recolher a alma do semideus, mas não matar o mortal. Não falhe, ou sua alma será a primeira que ele vai pegar. -Com está fala o Deus da Morte desapareceu, levando consigo o frio e a escuridão que tinham surgido anteriormente.
Rose manteve-se ajoelhada por mais algum tempo ainda, sem saber o que fazer. Por fim, levantou-se calmamente, teria que arrumar algumas coisas para poder começar sua busca. Poderia manter-se no acampamento, já que o semideus estaria pelas redondezas. Sairia pela floresta, já que seria um modo fácil de começar a busca, além de poder ajudar-lhe caso tivesse que se esconder.
Puxou uma pequena bolsa de dentro do baú, onde depositou suas armas e uma garrafinha com água. A busca com toda certeza seria cansativa. Franziu as sobrancelhas, perdidas em pensamentos confusos. Saiu de seu chalé e encaminhou-se para a floresta, tentando passar despercebida a olhares curiosos.
Respirou pesadamente, começando a caminhada. O caminho até a fronteira era longe. Percorrer o acampamento por inteiro em volta da fronteira seria cansativo. O semideus não deveria ter vindo para o acampamento antes, o que lhe dava uma pequena vantagem. Sabia que teria de tomar cuidado, para que o mortal possuído não a visse, caso contrario acabaria com um futuro ataque surpresa.
Com a panturrilha já doendo de tanto andar, chegou a grande fronteira. Subiu em uma árvore ainda dentro da segurança e observou os arredores. Nenhum sinal de intrusos. Desceu da árvore e saiu enfim do perímetro do acampamento. Seguiu linha reta, observando tudo atentamente. O mato era mais alto por ali, o que dava-lhe uma vantagem se tivesse que esconder-se.
A jovem ceifadora começou a estranhar o ambiente. O silencio estava quase mortal, se não fosse pelos seus passos e sua respiração. Percebeu também que algumas árvores próximo ao que parecia uma clareira rochosa estavam caídas. Poderia ser aquilo algum monstro? Questionou-se a morena, já ativando a armadura e pegando sua espada. Olhou mais atentamente as árvores caídas.
-Parecem ter sido arrancadas. -Murmurou para si mesma.
A constatação que teve era que o oponente seria grande, forte e perigoso. Diminuiu o barulho de seus passos e manteve o barulho de sua respiração lento e baixo. A adrenalina surgiu em seu ser mais forte que nunca, quando ouviu um poderoso ronco. Girou-se rápida e silenciosamente em direção ao barulho, vinha da clareira de aparência rochosa.
A passos lentos, silenciosos e com o coração a mil, dirigiu-se para o local. Apertou mais o cabo de sua espada, quando estava já a meros cinco passos da clareira. O ronco vinha de um gigantesco ciclope. Engoliu em seco, contornando-o até chegar a cabeça. O inimigo estava em desvantagem, podia mata-lo enquanto dormia, mas qual seria a graça? Era o pensamento da jovem Black.
Escalou a cabeça do monstro, usando seu cabelo como uma corda de ajuda. A criatura nem ao menos percebera a prole de Perséfone ainda, o que ajudou ainda mais. Firmou os pés na testa do ciclope e encarou o grande olho único fechado. Sorriu maldosa levantando a espada.
Sem dó nem piedade, enfincou a lamina de sua arma o mais forte que pode no olho do ciclope. Retirou a espada, e escorregou para o chão, correndo até uma árvore e parando atrás da mesma, observando o oponente levantar.
O ciclope colocou ambas as mãos no olho, choramingando por não enxergar. A menina não deu muita atenção a reação da criatura, pondo-se a escalar a pseudotsuga menziesii. Ao atingir o topo da árvore de aproximadamente noventa e nove metros, sorriu exausta. O oponente estava andando as  cegas, farejando o ar. O seu rastro inicial estava na outra ponta da clareira, de modo que o inimigo estava de costas para a garota.
A criatura começou então a andar para trás, ainda de costas, melhorando ainda mais seu plano. Preparou-se para saltar, realizando o ato assim que o ciclope estava muito próximo a si, pronto para virar-se. Ele não percebera a garota nas suas costas, estava ocupado de mais cheirando a árvore. Black segurou a risada, perante a burrice do monstro.
Como seu oponente estava curvado, correu por suas costas, com algumas dificuldades, até que chegou ao pescoço do ciclope. O tombo seria feito quando a mesma destruísse a cria de Poseidon. Posicionou-se melhor no ombro do ciclope, antes de prender a espada em seu pescoço, e pular para o chão, rasgando o corpo do ciclope enquanto caia, pendurada na espada que estava infincada na pele do adversário.
A lamina de sua espada passara pelo coração do monstro, que batia desesperadamente os braços por onde o arranhão se seguia, ainda cego. Antes de atingir o umbigo do ciclope, o mesmo explodiu em pó dourado, derrubando a menina de costas no chão.
-Ai. -resmungou sentando-se e estalando as costas para ver se a dor passava.
Torceu o nariz, tanto pelo tombo, quanto pela poeira. Levantou-se e livrou-se do pó, após alguns minutos. Olhou para o céu, percebendo ser fim de tarde e suspirou pesadamente. Passara boa parte de sua tarde procurando o mortal possuído e nada do mesmo.
A morena encaminhou-se de volta a procura. Iria fazer uma pequena patrulha por mais um tempo, antes de finalmente voltar para dentro do acampamento. Circulou todo o acampamento, por fora da fronteira, sem ser incomodada por mais nenhum monstro. Voltou ao ponto de partida, quase desabando de tão cansada. Encostou-se em uma árvore e tomou o último gole de sua garrafinha de água.
Prendeu o cabelo em um coque mal feito e voltou a caminhada, desta vez para dentro do acampamento. Mal pisara os pés dentro da fronteira e logo fora interceptada por uma harpia. A noite caíra e a ceifadora nem reparará. Já estava irritada pela busca e ainda tinha que enfrentar uma harpia. Seu dia não estava realmente bom.
Bufou irritada, puxando seu escudo, defendendo-se assim das garras afiadas da criatura. Utilizando de sua foice, conseguiu fazer um corte na cintura do monstro, que se desequilibrou, caindo no chão. Sem paciência para uma luta mais elaborada, deu outro golpe com a foice, desta vez na cabeça do bicho, arrancando-a fora. A cabeça rolou alguns centímetros antes de explodir em pó junto com seu corpo.
-Não me sujei desta vez... Milagre! -Exclamou a morena dando um sorrisinho.
Um vulto passou por entra as árvores, chamando a atenção da ceifadora. Não parecia ser uma das harpias. Franziu as sobrancelhas apanhando novamente sua foice.  Aproximou-se de onde o vulto havia parado e percebeu que ali estava uma pessoa.
Os cabelos ruivos reluziam a luz da lua, mostrando o intruso por ali. Estreitou os olhos, abaixando-se atrás de um arbusto qualquer. Espiou por entre um buraco que tinha no arbusto e viu o rapaz virando-se a procura de alguém.
O homem sentia-se observado, então procurava seu observador. Rose, logo abaixou-se mais ainda, fazendo o máximo de silencio que podia, não poderia ser vista de forma alguma. Resmungos ininteligíveis chegaram ao seu ouvido, fazendo com que Black voltasse a espiar.
A pessoa voltara a caminhar, distanciando-se. Ela sabia que teria que ter um ataque surpresa, para assim, começar já ganhando. Desativou a armadura e colocou seu manto de ceifadora seguido da máscara da morte. Respirou fundo, concentrando-se.
Viajou pela sombra onde se encontrava, aparecendo sobre uma árvore, um pouco a trás da pessoa desconhecida. Pulou para o chão silenciosamente e encostou-se a árvore, ficando na segurança das sombras.
-Aonde pensa que vai? -Questionou a menina com voz fria.
-Quem está ai? -Chamou o rapaz virando-se a procura da dona da voz.
-Seu maior pesadelo. -Afirmou a garota soltando uma gargalhada medonha, antes de viajar novamente pelas sombras aparecendo atrás do homem. -Você é bem lento, não? -Perguntou após chutar as costas no mesmo, fazendo-o cair de cara no chão.
-Menininha intrometida! -Resmungou irritado.
O ruivo puxou então as pernas da prole de Perséfone que, não esperando por isto, foi-se ao chão. O homem levantou-se neste meio tempo e parou por alguns segundos, olhando a menina que parecia seu maior medo. Balançou a cabeça tentando espantar a imagem de sua mente e deu um passo para trás, colocando-se em posição de ataque.
Enquanto o mortal estava de certa forma petrificado pelo medo, a garota já se levantara e colocara-se em posição de ataque também. Ambos começaram a mover-se em circulo, atentos ao primeiro movimento de ataque do outro. Black, já irritada pela espera, puxou sua espada, indo em direção ao homem, que por sua vez girou para o lado livrando-se de ser acertado.
A garota girou, mas não encontrou mais o rapaz em suas vistas, ficou confusa por meros segundos, até que sentiu um chute em suas costas. Arfou caindo de joelhos e apoiando as mãos no chão. Pelo canto do olho viu o mortal apanhando sua espada e vindo em sua direção para ataca-la.
Em um pulo, Rose levantou-se puxando sua foice e escudo. A lamina da espada chocou-se com o escudo vezes seguidas, enquanto a garota somente esperava o melhor momento para sair da defesa. Quando o homem foi-lhe atacar as pernas a garota pulou para trás, desviando-se por um tris da lamina de sua própria espada.
Grunhiu mais do que irritada e correu em direção ao oponente, com a foice erguida. As laminas chocaram-se, quatro ou cinco vezes seguidas, antes que a ceifadora consegui-se fazer um giro com a foice, desarmando o inimigo. A espada estava caída aos pés de uma árvore não muito distante.
Girou a foice novamente, tentando acertar o ruivo que desviou-se com facilidade. A raiva e adrenalina consumiam a semideusa, deixando-a mais previsível do que nunca. A menina então resolveu por tentar organizar um pequeno e rápido plano de ataque. Deu três passos para trás e posicionou-se, esperando os movimentos do homem.
O rapaz ficou momentaneamente irritado, mas logo correu em direção a garota, com uma das mãos nas costas. Black estranhou o movimento dando um passo para a esquerda e logo abaixou-se, desviando da madeira que acertaria sua cabeça. Arregalou os olhos, percebendo que o ruivo chegava próximo a sua espada novamente. Correu em direção ao homem e passou-lhe a foice pelo corpo em diagonal, de cima para baixo.
O mortal parou de correr confuso, sendo seguido pela morena, que quase trombou com o mesmo. A menina sabia que não podia simplesmente tentar explicar o que aconteceu, então simplesmente bateu com seu escudo na cabeça do ruivo, que caiu desmaiado.
A garota caminhou até sua espada e pegou-a. Por sorte a espada não sofrera nenhum dano. Suspirou guardando todas as suas armas. Logo o mortal acordaria e teria que dar uma desculpa por encontra-lo assim. Observando o  cara mais atentamente, percebeu que fizera alguns arranhões no mesmo.
-Bem já sei o que dizer... -Sussurrou para si própria, enquanto encaminhava-se até o homem. -Acho que é melhor coloca-lo para fora das fronteiras e chamar um táxi, de preferencia.
Após ter a ideia em mente, rodou o homem, deixando-o de costas para o chão e arrastou-lhe até o pé da colina meio-sangue. Teria de tomar cuidado, pois algum monstro poderia aparecer ali e ataca-la. Sentou-se encostada a uma pedra e observou o homem ainda desacordado, jogado a sua frente. Fechou os olhos e respirou fundo, tentando acalmar-se.
-O-o-onde est-tou? -Uma voz fraca e gaguejante perguntou, atraindo a atenção da morena, que logo abriu os olhos.
-Oh! Vejo que acordou! -Exclamou com falsa alegria, levantando-se e indo ajudar o homem a sentar-se.
-Quem é você? -Questionou desconfiado.
-Rose Black, senhor. Estava correndo por aqui quando encontrei-o desmaiado. Verifiquei se estava vivo, e ao constatar que estava, sentei-me aqui a espera de seu despertar. -A filha de Perséfone fingiu-se de preocupada.
-Obrigada? -Agradeceu, mas mais parecia uma pergunta.
-Não por isso, senhor. Chamei um táxi, para busca-lo, sabe? -Falou a menina dando um pequeno sorriso.
-Novamente, obrigada. -Disse o ruivo, pondo-se de pé.
Esperaram então em silencio até que o táxi chegou. O homem perguntou se ela ficaria ali e a menina afirmou, falando que morava por perto. Após muitas desculpas, o mortal finalmente foi-se embora, deixando a garota em paz. A ceifadora, seguiu então para seu chalé, onde tomou um merecido banho e deitou-se em sua cama, ainda sem sono algum.


Armas:
❀ Espada de Rosas - Uma Espada incrustada de Rubis. Quando não usada transforma-se em um anel. [by Perséfone] 
❀ Escudo da Terra - (pode proteger você dos piores ataques e é indestrutível. E de última opção, quando suas armas não estiverem presentes ou quebradas, pode jogar na cabeça de um monstro e ele terá sérios ferimentos. [by Perséfone] 
❀ Armadura do Guardião - Quando ativado pode liberar uma aura medonha que afasta todos os próximos. Banhada no rio Estíge, é feita de Ouro Imperial e protege de quase todos os ataques, minimizando os danos pela metade. [by Perséfone]
†Foice Colhedora de Almas† Réplica da Foice de Tânatos, feita de Aço do Estige. Possui uma maldição da morte, e envenena lentamente quem a segure sem ser seu dono. Se torna um pingente ou broche de prata com o símbolo de duas foices. Fica mais forte a cada alma recolhida (Almas - XX)Indestrutível. 
†Máscara da Morte† Máscara Branca que assume a forma da face do maior medo de seu adversário. 
† Manto do Ceifador † Um manto de Ceifador, mas ele não tem nenhuma propriedade fora assustar em quem teme a morte. Ele se transforma em um casaco ou colete.
Poderes:
† Viagem das Sombras I † Pode viajar pelas sombras.  Não pode ser usado para ataques; Pequenas distancias (menores que 100metros) [20 MP]
Rose Black
Rose Black
Ceifadores de Tânatos
Ceifadores de Tânatos

Mensagens : 52
Data de inscrição : 10/06/2013
Idade : 23
Localização : Indefinida u.u

Ficha Meio-Sangue
Infrações:
Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Left_bar_bleue0/0Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Empty_bar_bleue  (0/0)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Empty Re: Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black

Mensagem por Tânatos em Seg Jul 29, 2013 10:29 am

Missão concluída com sucesso.
Bem criativo e coerente, mas não precisa desativar sua armadura para usar o manto, um completa o outro.

Recompensas: (lembrando que pediu uma missão fácil)
250 Xp, 250 dracmas, 50 dólares  e 5 pontos de inteligência.
Bênção de Tânatos: Pode absorver almas de Monstros em sua foice. Podendo usar, um monstro por missão/batalha, os poderes ou habilidades deles.

Dano:
- 40 energia
Tânatos
Tânatos
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 722
Data de inscrição : 13/06/2013
Localização : Mundo Inferior

Ficha Meio-Sangue
Infrações:
Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Left_bar_bleue0/0Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Empty_bar_bleue  (0/0)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black Empty Re: Mortal Possuído - Missão One-Post para Rose Black

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum